Sem máscaras

Esse blog é uma espécie de "reclamário"que construí cá online. Com comentários sobre cultura, comportamento, um pouco de política. Opinião. Ironia. Os temas são amplos: o que der na telha, entre livros, músicas, videos, séries de tv, um e outro filme, papos de boteco, enfim - aquilo de que nos ocupamos na web e na vida.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Olhos nos olhos



Tenho notado como é difícil para algumas pessoas olhar nos olhos das outras..... E não falo apenas de desconhecidos – sim, faça o teste: quando alguém na rua olhar pra você, devolva o gesto fixando profundamente seus olhos no do outro.

Raros serão aqueles que continuarão a te olhar após 4,5 segundos! Algumas teorias dizem que se numa conversa um dos interlocutores desvia seus olhos diante da necessidade de dar uma resposta, provavelmente ele estará mentindo.

Para muitos dizer a verdade sempre é mais que um ato de coragem, é uma escolha. E como todas as escolhas, tem lá suas conseqüências. Quando conhecemos alguém e nos apaixonamos, trocamos olhares infinitos, maciços, profundos, emocionados, perdidos... – “quando a luz dos olhos seus e a luz dos olhos meus resolvem se encontrar, ai que bom que isso é meu Deus, que frio que me dá o encontro desse olhar...” Quem não teve aquele frio na barriga com uma troca de olhares?

Com o tempo esses mesmos olhos podem passar a demonstrar frieza, indiferença, raiva... Como diz a música: “olhos nos olhos, quero ver o que você faz, ao sentir que sem você eu passo bem demais...” Que os olhos são as “janelas da alma” já sabemos; mas se isso é mesmo verdade, porque tantos desvios de olhares pela vida? Quantas vezes “fingimos que não vemos”? O que não queremos revelar ou enfrentar? Comodismo por medo da mudança? Olhar é diferente de ver, como ouvir é diferente de escutar. Viver significa saber dosar essas diferenças

Nenhum comentário:

Postar um comentário